Apenas 2 semanas de inatividade podem acelerar o início do diabetes em idosos

Um novo estudo mostra que duas semanas de inatividade física podem desencadear diabetes em idosos com pré-diabetes.

À medida que envelhecemos, o exercício físico torna-se cada vez mais importante. A internet está repleta de pesquisas recentes que exaltam os múltiplos benefícios do exercício físico para idosos.

Por exemplo, a atividade aeróbica e o treinamento muscular mostraram melhorar o bem-estar psicológico de pessoas idosas, e até mesmo alguns minutos de exercícios leves podem aumentar o tempo de vida e melhorar a função cerebral.

Os benefícios da atividade física há muito são elogiados, mas quais são os efeitos da inatividade física? Alguns estudos mostraram que ter um estilo de vida sedentário prejudica a saúde do cérebro e aumenta o risco de diabetes e demência em idosos, enquanto outros sugerem que ser fisicamente inativo simplesmente faz com que envelheça mais rapidamente.

Nova pesquisa analisa os efeitos metabólicos da inatividade física para idosos. Uma equipe de cientistas liderada por Chris Mcglory – pesquisador do Diabetes Canada no Departamento de Cinesiologia da McMaster University em Ontário, Canadá – começou a investigar os efeitos de duas semanas de inatividade em adultos idosos com risco de diabetes.

Os resultados foram publicados em The Journals of Gerontology.

 

Efeitos nocivos da inatividade difíceis de reverter

Mcglory e seus colegas examinaram um grupo de idosos entre 60 e 85 anos que já haviam sido diagnosticados com pré-diabetes.

Os pesquisadores pediram aos participantes do estudo que restringissem seu número diário de passos para menos de 1.000 por um período de 2 semanas. Não mais do que mil passos por dia é o equivalente a estar em casa.

Durante o período do estudo, os pesquisadores monitoraram a atividade física dos idosos usando pedômetros e outros dispositivos especializados; eles também coletaram amostras de sangue e mediram os níveis de açúcar no sangue dos participantes.

A pesquisa revelou que apenas alguns dias após o início do estudo, a massa muscular e a força dos participantes diminuíram significativamente.

É importante ressaltar que os pesquisadores também notaram que as pessoas que tinham pré-diabetes rapidamente exibiam sinais de diabetes tipo 2, como a resistência à insulina.

Além disso, apenas retornar a um regime de exercícios saudáveis ​​por mais duas semanas não foi suficiente para compensar os efeitos nocivos da inatividade, descobriram os pesquisadores.

“Esperávamos descobrir que os participantes do estudo [desenvolveriam diabetes], mas ficamos surpresos ao ver que eles não voltaram […] ao estado mais saudável quando retornaram à atividade normal.”
Chris Mcglory

Stuart Phillips, que é professor de cinesiologia na McMaster e investigador sênior do estudo, também comenta as descobertas, dizendo: “O tratamento da diabetes tipo 2 é caro e muitas vezes complicado”.

“Se as pessoas ficarem de pé por um longo período, elas precisam trabalhar ativamente para recuperar sua capacidade de lidar com o nível de açúcar no sangue”, continua Phillips.

Mcglory ecoa os mesmos sentimentos e acrescenta: “Para que os idosos recuperem a saúde metabólica e impeçam novos declínios de períodos de inatividade, estratégias como reabilitação ativa, mudanças na dieta e talvez medicação podem ser úteis”.

Nos Estados Unidos, mais de 84 milhões de adultos vivem atualmente com pré-diabetes e outros 23,1 milhões receberam um diagnóstico formal de diabetes, portanto, esses achados podem ser relevantes para uma parte significativa da população.

 

Fonte: Medical News Today, por Ana Sandoiu , em 31/07/2018

Artigo original: https://www.facebook.com/notes/anad-associa%C3%A7%C3%A3o-nacional-de-aten%C3%A7%C3%A3o-ao-diabetes/apenas-2-semanas-de-inatividade-podem-acelerar-o-in%C3%ADcio-do-diabetes-em-idosos/2063366073696131/